Bematech Software Partners

 
  • jun 30 2008

    PAF-ECF O que é isso?

    PAF-ECF é o Programa Aplicativo Fiscal que faz a interface com o ECF-IF. Até recentemente cada estado definia como o Aplicativo Fiscal deveria atuar com o ECF, e alguns exigiam muita Automação Comercial para seu, outros exigiam quase nada.

    Desde o convênio ICMS 50/00 o Fisco já demonstrava interesse em disciplinar a matéria, mas apesar de já termos algumas definições neste convênio e nos seguintes, os Fiscos em geral não exigiam exatamente como estava ali, com poucas exceções.

    Durante este tempo o mercado ficou à vontade, e surgiram muitos tipos de empresas de software. Algumas muito sérias, e outras nem tanto. Só em São Paulo houveram autuações em diversos estabelecimentos comerciais e muitos Aplicativos Comerciais sendo investigados.

    Neste cenário era de se esperar um maior controle do Fisco sobre o PAF-ECF, e o Fisco iniciou uma série de contatos com as entidades de desenvolvedores, principalmente a ASSESPRO e a AFRAC.

    No âmbito da AFRAC posso dizer que foi formado um GT de SW (grupo técnico de software), coordenado pelo Edgar da TKE, que tem feito um excelente trabalho.

    Então finalmente depois de toda a discussão juntamente com as entidades o Fisco publicou 2 documentos contendo as informações para Automação Comercial do PAF-ECF, que é o Ato Cotepe 06/08 e o Convênio ICMS 15/08. Estes documentos são de abrangência nacional, quer dizer, todas as software-houses deverão atendê-los.

    Estas legislações contem diversas exigências de alguns estados, como MG, SP e SC, e cria algumas siglas para documentos que a maioria já usa, como:

    ·Auto-serviço – forma de atendimento em que o consumidor escolhe os produtos e leva ao caixa.

    ·Pré-venda – forma de atendimento em que o consumidor escolhe os itens e recebe um código ou senha de identificação e se dirige ao caixa para pagamento.

    ·Documento Auxiliar de Venda (DAV) – é um tipo de documento emitido e impresso antes de terminar a operação de compra, para atender as necessidades operacionais do estabelecimento comercial. Serve para operações como orçamento, pedido, ordem de serviço, etc. O DAV não substitui o Cupom Fiscal, que deverá ser emitido. O DAV não pode ser usado em bares e restaurantes.

    Também estabelece regras e requisitos para os Aplicativos Comerciais seja Frente-de-Loja seja de Gestão. Com estas regras alguns comportamentos do PAF-ECF são padronizados, e a sonegação fica mais difícil de ser realizada através dos aplicativos.

    Agora o PAF-ECF será obrigado a gerar um arquivo diário com o movimento, nos mesmos moldes dos dados exigidos pela Portaria CAT-52 de SP.

    Há regras definidas para diversos ramos de atividade, conforme suas peculiaridades, como por exemplo: postos de combustíveis, bares, restaurantes, farmácias de manipulação, oficina de consertos e transportes.

    Agora não basta mais criptografar o número de série do ECF e verificar sua troca, há que verificar ainda o GT (grande total) do ECF. Assim não há como trocar o ECF em operação. Há alguns números que são impressos em mais de um documento, gerando uma Automação Comercial cruzada.

    A data/hora do ECF tem que estar em sincronia com o PAF-ECF, numa tolerância de 15 minutos. Mas o principal é que os dados gerados pelo PAF-ECF deverão ser assinados digitalmente, identificando quem as gerou. Ou seja, se o fisco receber informações alteradas, poderá facilmente identificar qual o PAF-ECF que as gerou.

    Neste contexto é importante ter confiança nos dados recebidos do ECF, e recebê-los assinados passa a dar ao desenvolvedor a certeza de que as informações são fidedignas, e lhe dá uma garantia de que os dados estão síncronos com o ECF, minimizando os riscos de geração de informações inconsistentes para o fisco e eventuais penalidades. Os novos modelos de ECF, MP-4000 TH FI e MP-7000 TH FI da Bematech já possuem este recurso e certamente serão muito úteis neste contexto.

    Estes convênios entram em vigor em 1 de julho de 2008, ou seja, daqui alguns dias, mas não se desespere, pois nesta data começam os trabalhos de credenciamento das entidades candidatas a realizarem o processo de Automação Comercial do PAF-ECF. Quer dizer, as entidades que desejam realizar a atividade de Automação Comercial se cadastram, passam pelas etapas necessárias e tem seu nome publicado no Diário Oficial da União, passando a estar credenciadas.

    Muito bem, a partir do primeiro credenciamento começa a contar 6 meses, sendo o prazo final para que os Aplicativos estejam de acordo com a legislação. Supondo que ao final de julho/08 tenhamos o primeiro credenciamento, então a partir de jan/09 todo PAF-ECF tem que ter sido analisado conforme a legislação citada acima.

    É isto mesmo, a partir de agora o PAF-ECF precisa passar por uma Automação Comercial funcional por órgão técnico credenciado pelo COTEPE/ICMS, obtendo um Laudo de Automação Comercial Funcional de PAF-ECF e com este em mãos poderá solicitar registro em cada unidade federada, e conforme a legislação de cada estado, semelhante ao que é feito com o ECF, por exemplo.

    Durante esta Automação Comercial a Software-House deverá entregar os códigos-fonte de seu aplicativo para Automação Comercial, que depois deverá gerar uma chave MD5 do conteúdo e lacrado, ficando em poder da própria software-house como fiel depositária.

    A legislação cita ainda que os custos desta Automação Comercial é por conta da software-house, devendo disponibilizar os materiais e recursos necessários para a realização da Automação Comercial e emissão do laudo.

    O prazo de validade da Automação Comercial funcional é estabelecido pela unidade federada, podendo ainda ser cancelada, suspensa ou cassada. Caso o aplicativo seja alterado, este deverá ser reanalisado depois de decorrido o prazo, sob pena de ser cancelado o registro.

    Bom, isto posto, você poderia se perguntar: qual deverá ser o efeito sobre o mercado de software-houses?

    Se fizermos uma analogia com o mercado de Fabricantes de ECF, observaremos que em 1998 tínhamos aproximadamente 32 fabricantes de ECF, e que hoje, passados 10 anos, temos 16 Fabricantes (50%), e se considerarmos somente aqueles que desenvolvem e fabricam então este número cai para algo em torno de 8 (25%). Isto significa que em 10 anos, o número de fabricantes foi drasticamente reduzido, ficando aquelas empresas que possuem capacidade de investimento, e às demais resta revender o produto de algum fabricante com a sua marca para permanecer, mudar ou até mesmo sair do mercado.

    Observamos que uma parte daqueles fabricantes (25%) parou de desenvolver seus produtos e revende produtos em OEM (original equipment manufacturer) e outra parte desistiu deste mercado ou passou a ser desenvolvedor de software.

    Agora, se analisarmos o mercado de software-house, observamos que além da homologação do PAF-ECF, que trará custos adicionais ao desenvolvedor, há também a homologação do TEF, com suas idas e vindas e mudanças freqüentes de protocolo.

    Tudo isto me leva a crer que nos próximos anos haverá mudanças neste setor. Estima-se que temos um pouco menos do que 8.000 software-houses, sendo 94% micro e pequenas empresas. Sobretudo as micro e pequenas, e, portanto um universo muito grande, sofrerão com as novas exigências da legislação, e alguns estudos de mercado confirmam que haverá uma retração significativa no número de players no setor de software-houses.

    Se antes se podia protelar o investimento em novas tecnologias e procurar obter o máximo de retorno com o aplicativo comercial já desenvolvido, agora há a necessidade de investimento no curto prazo para homologar o PAF-ECF e manter o negócio em funcionamento.

    Isto indica que as transformações do mercado levarão a empresas que se utilizarão do investimento de outras para manter seu negócio em funcionamento, focando nas atividades que possui mais domínio.

    A Bematech está se preparando para este momento oferecendo outras formas de parceria com as software-houses, justamente para criar novas oportunidades e assim cada um pode optar por aquilo que seja melhor para seu negócio.

    O fato é que não importa a opção que escolher a Bematech sempre estará oferecendo apoio para alavancar o seu negócio.

    Tags: , , , , , , , , , ,

     

132 Comentários

  • 8 de julho de 2008 às 13:28

    Comment by Rômulo Araújo

    Excelente, gostei muito deste artigo, além de muito esclarecedor, muito sensato e sincero. Espero que como profissionais do ramo, possamos sempre contar com este tipo de acessoria.

  • 8 de julho de 2008 às 17:03

    Comment by Renato Gosuen

    Muito bom o artigo, mas gostaria de saber sobre uma coisa. A homologação irá se tornar federal, isto é, eu homologo em São Paulo e posso estar apto a vender o sistema em todo o território nacional ?

    Outra dúvida é na questão de atualizações visto que se gero um MD5 do aplicativo e lacro seus fontes em um envelope, depois se precisar arrumar algo tenho de ir novamente lá homologar denovo ?

    Abraços

  • 8 de julho de 2008 às 17:30

    Comment by Luis A. Luize

    Renato,

    A swhouse terá que obter o “Laudo de Automação Comercial Funcional de PAF-ECF” através de um órgão credenciado pelo Fisco. Após isto deverá solicitar cadastramento nas Unidades Federadas que deseja operar, sendo que o Convênio ICMS 15/08 (veja link no texto acima) informa uma série de documentos que devem ser entregues.

    Em relação a homologação, cada unidade federada deve definir o prazo de validade do Laudo, mas creio que deve ser em torno de 12 meses. Após isto deverá recertificar a aplicação.

    Luize

  • 10 de julho de 2008 às 13:30

    Comment by Marcelo

    Exelente artigo. Duvidas: A) Todos os aplicativos em uso terão de ser homologados?
    B) A obrigatoriedade do uso das ECFs esta valendo para todas as empresas?

    Grato.

  • 14 de julho de 2008 às 11:48

    Comment by André Munhoz

    Olá Marcelo, os aplicativos deverão ser homologados neste novo modelo da PAF-ECF. A obrigatoriedade do uso do ECF independe agora do faturamento anual da empresa (120.000,00). Se o cliente possui no caixa um PC para controle de suas vendas, deve-se possuir tbm uma impressoras fiscal.

  • 21 de julho de 2008 às 16:09

    Comment by Marco Tulio Naves

    Excelente material ! Como provedora das informações do ECF, a Bematech irá disponibilizar alguma DLL para obter os dados do arquivo diario de movimento ?

  • 21 de julho de 2008 às 16:28

    Comment by Luis A. Luize

    Marco, já estamos planejando uma DLL que possa auxiliar a swhouse com estas informações.

  • 1 de agosto de 2008 às 9:50

    Comment by Maurício Faria

    Saudações André.
    Acima você cita “Se o cliente possui no caixa um PC para controle de suas vendas, deve-se possuir tbm uma impressoras fiscal.”.
    Você poderia apontar a legislação que indica esta obrigatoriedade ?
    Tenho alguns clientes teimando que isso não é verdade…

  • 1 de agosto de 2008 às 10:31

    Comment by André Munhoz

    Olá Maurício, seguem:

    - Parágrafo único da Cláusula terceira do CONVÊNIO ICMS 01/98

    (…)
    Cláusula terceira. A utilização, no recinto de atendimento ao público, de equipamento que possibilite o registro ou o processamento de dados relativos a operações com mercadorias ou com a prestação de serviços somente será admitida quando integrar o ECF, de acordo com autorização concedida pela repartição fiscal a que estiver vinculado o estabelecimento.

    Parágrafo único. O equipamento em uso, sem a autorização a que se refere o caput ou que não satisfaça os requisitos desta, poderá ser apreendido pela Secretaria da Receita Federal ou pela Secretaria de Fazenda, Finanças ou Tributação das unidades federadas, e utilizado como prova de infração à legislação tributária.
    (…)

    - RICMS-SP

    Parágrafo segundo do artigo 251 do RICMS-SP
    Artigo 251 (…)

    § 2º – A utilização de equipamento, no recinto de atendimento ao público, que possibilite o registro ou processamento de dados relativo a operação ou a prestação de serviços, inclusive equipamento para processar cartão de crédito ou débito automático em conta corrente, somente será permitida quando integrar o ECF.
    (…)

    Lei Federal 9.532/97

    (…)
    Art. 62. A utilização, no recinto de atendimento ao público, de equipamento que possibilite o registro ou o processamento de dados relativos a operações com mercadorias ou com a prestação de serviços somente será admitida quando estiver autorizada, pela unidade da Secretaria de Estado da Fazenda, com jurisdição sobre o domicílio fiscal da empresa, a integrar o ECF.

    Parágrafo único. O equipamento em uso, sem a autorização a que se refere o caput ou que não satisfaça os requisitos desta, poderá ser apreendido pela Secretaria da Receita Federal ou pela Secretaria de Fazenda da Unidade Federada e utilizado como prova de qualquer infração à legislação tributária, decorrente de seu uso.
    (…)

  • 16 de agosto de 2008 às 11:25

    Comment by David

    O laudo emitido por uma credenciada em MG é valido no estado do Acre, mesmo não tendo definido o roteiro para certificação Nacional?

  • 25 de agosto de 2008 às 16:51

    Comment by Carlos Alberto Gardioli

    O PAF será aplicado somente nos sistemas de Venda? ou também nos SIstema de Retaguarda?

    Grato

  • 25 de agosto de 2008 às 17:03

    Comment by Luis A. Luize

    David,

    Os laudos serão válidos somente após Automação Comercial pelo instituto utilizando o roteiro que está em definição neste momento, ou seja, se você já obteve um laudo, ele vale somente para o estado em questão.

    Luize

  • 25 de agosto de 2008 às 17:05

    Comment by Luis A. Luize

    Carlos,

    O PAF-ECF como o próprio nome define (programa aplicativo fiscal – emissor de cupom fiscal) se refere aos itens emitidos no ECF, ou seja, na frente de loja somente.

    Eventualmente podem vir a exigir alguma outra Automação Comercial que está na retaguarda, mas até o momento desconheço qualquer soliictação deste tipo.

    Luize

  • 1 de setembro de 2008 às 10:31

    Comment by Marco Tulio

    A duvida é: os fabricantes de ECFs irão disponibilizar uma DLL que forneça parte das informações ou esta DLL irá gerar o arquivo completo para a sw-house ?

  • 1 de setembro de 2008 às 10:42

    Comment by André Munhoz

    Olá Marco,

    Por estar ligado diretamente ao aplicativo de automação comercial, o PAF-ECF é independente de fabricante, ou seja, é o aplicativo que deverá disponiblizar as informações ao fisco, conforme requisitos da nova homologação para o PAF-ECF.

    O ECF poderá ajudar ao fornecer informações que nele estejam disponíveis, mas nem todas serão possíveis.

    Ats,
    André Munhoz

  • 10 de outubro de 2008 às 16:13

    Comment by Marcelo

    Se por explo, eu utilizo um micro terminal autonomo em meu comércio, e o mesmo não permite a possibilidade de geração de arquivos, não poderei mais utilizá-lo após janeiro??

  • 14 de outubro de 2008 às 14:17

    Comment by Jeniffer

    Onde entro em contato para conseguir esse laudo no estado de São Paulo?

  • 14 de outubro de 2008 às 18:13

    Comment by Luis A. Luize

    Jennifer,

    No outro post sobre o PAF-ECF coloquei todos os convênios que citam os institutos, mas pelo que me lembro não tem ninguém em São Paulo, acho que você terá que obter o laudo em outro estado.

    Luize

  • 14 de outubro de 2008 às 18:44

    Comment by Luis A. Luize

    Marcelo,

    A legislação ainda não está sendo exigida e haverá prazo para novos produtos e outro prazo para produtos já instalados, que é o seu caso.

    Isto significa que você poderá usar o microterminal até que chegue a data final para produtos já instalados. Neste momento tenho conhecimento de que em Santa Catarina o prazo será jan/2010, outros estados ainda não se manifestaram oficialmente.

    Após isto, se a tua solução de automação comercial não entregar os relatórios então terá sim que troca-la.

    Luize

  • 15 de outubro de 2008 às 16:06

    Comment by Jeniffer

    A homologação está sendo obrigatória em todos os ESTADOS?

  • 15 de outubro de 2008 às 16:47

    Comment by Luis A. Luize

    Jeniffer,

    A homologação será obrigatória sim. Nem todos os estados neste momento definiram data para a obrigatoriedade, quer dizer, cada estado vai definir a sua data, no post acima citei a data de SC, os demais ainda não se manifestaram publicamente que eu saiba.

    Ao definirem a data passa a ser obrigatório, até lá não vão exigir, isto significa que haverá data diferente para cada estado, mas chegará um momento em que todos estarão exigindo.

    Luize

  • 15 de outubro de 2008 às 18:24

    Comment by SERGIO VELOSO

    A Fundação Visconde de Cairu no estado da Bahia vai ser possivel homologar o PAF-ECF. Pois até o momento não encontrei na relação de credenciadas.?????

  • 16 de outubro de 2008 às 9:12

    Comment by Luis A. Luize

    Sérgio,

    Realmente não vi o nome do instituto na relação de credenciados, mas certamente deverão se habilitar, é uma questão de tempo.

    Luize

  • 17 de outubro de 2008 às 17:25

    Comment by Marcia Luiza

    O que vai mudar para a interventora em ECF? E os equipamentos q não estão habilitados ao PAF ECF conforme os modelos novos? Temos que tomar alguma providencia quanto as vistorias feita em programa aplicativo fiscal para inicialização de ECF, não houvi nada por aqui, apenas que vai haver mudanças, mas ninguem sabe qual. Onde posso buscar mais informações?

  • 23 de outubro de 2008 às 18:18

    Comment by Luis A. Luize

    Márcia,

    O PAF-ECF se refere ao aplicativo comercial que utiliza o ECF, isto quer dizer que para o interventor e para o ECF nada muda.

    A swhouse terá que adequar seu aplicativo à legislação do PAF-ECF e a interventora registrar durante o pedido de uso o sw / versão que está sendo instalado no cliente. Se não for homologdo no PAF-ECF não será autorizado pelo fisco.

    Abraços,
    Luize

  • 28 de outubro de 2008 às 15:43

    Comment by Anderson

    Ola, desenvolvi um sistema para um comercio da familia. Como “autonomo” porei homologar este software?

    Obrigado
    Abs.

  • 29 de outubro de 2008 às 8:49

    Comment by PAULO

    Bom dia

    Eu tenho um sistema de ordem de serviço, nesta caso, quando encerrar a ordem de serviço como aprovada, precisarei gerar um DAV para depois o usuário ir no caixa e encerrar a venda dando baixa no estoque e criando a conta a receber?

  • 29 de outubro de 2008 às 11:03

    Comment by jorge oliceira

    muito bom

  • 29 de outubro de 2008 às 15:25

    Comment by Luis A. Luize

    Paulo,

    O que se usa normalmente é ligar a ordem de serviço com um dado do cliente e no caixa solicitar dele o CNPJ/CPF, então o sistema localiza a OS e emite o cupom fiscal da transação.

    Luize

  • 29 de outubro de 2008 às 15:31

    Comment by Luis A. Luize

    Anderson,

    A legislação exige que a software-houses tenha um CNPJ conhecido para registrar a aplicação, acredito que como “autonomo” não será mais possível cadastrá-la.

    Luize

  • 29 de outubro de 2008 às 17:59

    Comment by PAULO

    Ótimo, mas ainda tenho duas dúvidas:

    1) Só poderei baixar o estoque e criar a conta a receber quando o usuário emitir o cupom na ECF? Mas em ofifinas é muito comum o recebimento de adiantamentos e taxas de orçamento, quando isso ocorre é faturado mesmo se a OS for reprovada…como funciona a emissão do cupom nestes casos?

    2) Sempre que eu atualizar o sistema, por menor que seja a alteração/correção de BUG, terei de homologar tudo de novo?

    Desculpe as perguntas e obrigado.

  • 30 de outubro de 2008 às 7:30

    Comment by Vagno

    Se eu usar o ACBR para comunicação com a impressora, posso atualizar o meu SG livremente ou terei que ficar homologando?

  • 30 de outubro de 2008 às 15:30

    Comment by Sodemir

    Boa tarde, tenho umas duvidas intrigantes…quando meu estado (PR) EXIGIR o credenciamento, a partir de quando devo enviar meus arquivos diarios, a) a partir do meu credenciamento? ou pode o fisco exigir arquivos anteriores ao meiu credenciamento? b) com o laudo nas mãos, poderei cadastrar o PAF ECF em qualquer estado do Brasil?

  • 30 de outubro de 2008 às 17:24

    Comment by Luis A. Luize

    Paulo,

    Creio que o melhor no teu caso é emitir a OS, dar entrada no adiantamento na própria OS e emitir um documento não fiscal para a OS.

    Quando finalizar o serviço o cliente paga a diferença e o cupom fiscal é emitido.

    Quanto aos bugs, você corrige, informa o fisco que houve alteração de versão por correção e apresenta a nova versão ao vencer o certificado de homologação, que dura 12 meses.

    Luize

  • 30 de outubro de 2008 às 17:26

    Comment by Luis A. Luize

    Vagno,

    Terá que homologar sim.

    Luize

  • 30 de outubro de 2008 às 17:28

    Comment by Luis A. Luize

    Sodemir,

    Deverá enviar os arquivos a partir da exigência do estado. Com o laudo em mãos poderá registrar seu sw em todos os estados da união.

    Luize

  • 31 de outubro de 2008 às 16:17

    Comment by Anderson Silva

    Como posso passar para as contabilidades essa nova necessidade? Como podemos orientar para que possamos antecipar isso para o cliente final. obrigado.

  • 10 de novembro de 2008 às 9:16

    Comment by José Carlos Queiroz

    Gostaria de saber, qual é o custo da analize do fonte do programa, ou se alguém ja o fez e a que custo?
    Exite uma tabela a ser cobrada ou isto depende o orgão analizador?

    grato

  • 11 de novembro de 2008 às 16:18

    Pingback by Arquivos atualizados do PAF-ECF | Automação Comercial

    [...] também o post sobre o tema PAF-ECF. (Vote clicando na imagem)  Loading [...]

  • 11 de novembro de 2008 às 16:32

    Comment by Charles

    Alguem sabe se para MG ja tem data definida para exigencia da nova PAF-ECF?

    Uma outra questão é meu soft não utilizara DAV nem Pré-venda, logo se faz necessário o desenvolvimento desses itens para a homologação?

    Charles

  • 12 de novembro de 2008 às 11:30

    Comment by Joel

    Quais os softwares que já estão enquadrados ao Paf ECF?

  • 17 de novembro de 2008 às 23:05

    Comment by Carlos

    Duvida.. Eu tenho duas versões do sistema uma ECF e a outra não… Em empresas que utilizam ECF eu instala o sistema com versão fiscal, que nao permite venda sem emitir o cupom fiscal.. E a empresa não tem ECF instalo a versao não fiscal. que pode lançar venda a vontade…

    Tambem vendo para outras cidades, e instalo via internet.. Acontece que ao visitar um cliente de fora, vi que ele usava um outro programa para emitir cupom fiscal e usava o meu não fiscal para lançar vendas.. Posso ser punido por isto ? ou isto é uma responsabilidade da empresa, ja que não instalei minha versao fiscal lá ?

  • 18 de novembro de 2008 às 15:18

    Comment by Arlindo Junior

    Gostaria somente de saber uma coisa, ainda não há data prevista para obrigação de homologação, quando houver como se dará a fiscalização nas swhouses que não estiverem de acordo com a lei?

  • 28 de novembro de 2008 às 16:20

    Comment by Eduardo

    Luiz, em primeiro lugar parabéns pelo blog.

    Eu tenho algumas dúvidas com relação ao desenvolvimento do ECF:

    1- É possível desenvolver o PAF-ECF sem, necessariamente, termos que atender todos os requisitos para homologá-lo?

    2- O que acontece com os ECF que já estão instalados nos clientes, mas que não atendem todos os requisitos?

    3- Se as softwarehouses não atualizarem seus ECFs elas serão passíveis de multa, ou a multa será aplicada somente ao estabelecimento comercial?

    4- Até onde vai a responsabilidade das softwarehouses no que diz respeito ao desenvolvimento do ECF?

  • 28 de novembro de 2008 às 16:25

    Comment by Eduardo

    Luiz, você saberia informar quanto custa homologar um PAF-ECF com TEF discado?

    PS: No post anterior sem querer eu escrevi apenas ECF, mas as dúvidas referem-se somente ao software de Automação Comercial, ou seja, o PAF.

  • 4 de dezembro de 2008 às 15:43

    Comment by Luis A. Luize

    Eduardo,
    Em relaçao aos teus questionamentos:
    1. não é possível não, você terá que implementar todos os requisitos para o segmento em que pretende atuar.
    2. os estados estão dando prazo para as novas instalações e para o parque instalado. Para o parque instalado significa que você deverá atualizar seu PAF-ECF para a nova legislação e instalar no cliente.
    3. certamente o Fisco vai solicitar que a swhouse faça a atualização e se o cliente não quiser, certament será multado.
    4. é total, quer dizer, se a swhouse desenvolveu então é totalmente responsável pelo PAF-ECF e pelo que este faz. Se possuir algum “recurso” que permita evasão fiscal, será penalizado seguramente.

    A homologação do TEF Discado / Dedicado é independente da homologação do PAF-ECF, devendo ser feito antes deste, ou seja, primeiro homologa TEF nas bandeiras e depois obtém o laudo de sw no instituto. Tenho ouvido falar em algo em torno de R$3.000 a R$5.000 para cada homologação.

    Luize

  • 4 de dezembro de 2008 às 15:47

    Comment by Luis A. Luize

    Arlindo,

    O Fisco irá fiscalizar de um modo bem simples, quando for feito o pedido de uso do ECF deverá ser declarado o PAF-ECF sendo utilizado, e se este não estiver homologado no estado simplesmente não irão deferir o uso do mesmo e o cliente ficará impedido de operar com a solução.

    Para o parque instalado serão feitas fiscalizações no campo, nos estabelecimentos comerciais.

    Luize

  • 4 de dezembro de 2008 às 15:51

    Comment by Luis A. Luize

    Carlos,

    Situação complicada esta não é mesmo?

    Pela legislação você não pode ter uma versão não-fiscal, sendo passivel de multa e cassação pelo fisco.

    Agora, o fato de alguém usar algo que você não vendeu, certamente o fisco iria contra você e o cliente e você teria que explicar que não vendeu, o que pode demorar um pouco.

    Creio que enviar uma carta ao cliente informando que a cópia que ele utiliza não é legalizada e que está em desacordo com a legislação vigente. Isto certamente te deixaria mais confortável caso haja fiscalização no cliente.

    Luize

  • 4 de dezembro de 2008 às 15:52

    Comment by Luis A. Luize

    Joel,

    A cada dia tem mais software obtendo o laudo de Automação Comercial de sw. Conheço vários que já estão com o laudo em mãos. Hoje mesmo falei visitei uma destas que deve ser a primeira no Brasil a obter a divulgação em DOU (diário oficial da união).

    Luize

  • 4 de dezembro de 2008 às 15:54

    Comment by Luis A. Luize

    Charles,

    O nosso entendimento é que você pode não tr alguma funcionalidade como por exemplo o DAV.

    Quanto a prazo MG já se pronunciou como sendo 01/janeiro/2009.

    Luize

  • 4 de dezembro de 2008 às 15:56

    Comment by Luis A. Luize

    Anderson,

    Os contadores precisam se inteirar da nova legislação e garantir qu seus clientes utilizam PAF-ECF homologado, orientando-os, caso contrário o cliente poderá ser multado e o contador sofrerá com isto.

    Luize

  • 9 de dezembro de 2008 às 11:58

    Comment by Mozart

    LUIS, Boa tarde…

    - Qual o prazo para homologação do PAF-ECF em SP ??
    - Quais os orgãos que serão responsáveis por esta homologação em SP ??
    - Qual custo desta homologação em SP ???

    Obrigado, Abraço…
    MOZART LIRA.

  • 10 de dezembro de 2008 às 13:21

    Comment by Thalis

    Boa tarde, fugindo um pouco do assunto, gostaria de saber se vc poderia me informar sobre a legislação referente a arredondamentos ou truncamentos para itens pesáveis. A dúvida é: Nas leis encontradas diz que somente pode truncar no caso de combustível, e para demais itens deve-se arredondar, porém hoje as ECFs vem truncando, qual seria a maneira correta de calcularmos estes valores que altrapassam as 2 casas decimais, truncando ou arredondando?

  • 7 de janeiro de 2009 às 10:46

    Comment by Susana

    Excelente artigo,

    Duvidas:

    Precisamos fazer essa Automação Comercial do nosso sw em Blumenau … por gentileza é possível informar o telefone e quem é o responsável por essa Automação Comercial?

    Estados como Bahia, Minas, Amazônas, depois do Laudo OK devemos enviar cópia autenticada do Laudo e os demais formulários conforme definição de cada Estado … ?

    At.

    Susana

  • 14 de janeiro de 2009 às 11:34

    Comment by luiz

    Aproveitar a oportunidade para divulgar que o orgao tecnico TECPAR, situado em Curitiba-PR, realza a Automação Comercial funcional do PAF-ECF, gerando o laudo para a homologacao.
    Lembrando que o estado de Minas ja esta exigindo laudo.

    Tel 41 3316-3009

  • 16 de janeiro de 2009 às 15:42

    Comment by Wilmar

    LUIZ…

    Preciso ter acesso as informações no PDV (onde está o ECF), isto quer dizer que meu bco de dados tem de estar nessa maquina ???

  • 27 de janeiro de 2009 às 14:23

    Comment by Audene Goes

    Srs.

    Diante do PAF-ECF, o que se chamava pedido de venda deverá se chamar DAV e atender os requisitos estabalecidos no ato Cotepe 06/2008?

  • 4 de fevereiro de 2009 às 9:59

    Comment by SERGIO VELOSO

    Bom dia!

    Gostaria de saber se o estado da Bahia já disponibiliza de legislaçao para o PAF_ECF. Caso a SEFAZ Bahia aceite o Laudo do PAF-ECF e possuo o Antigo emitido pela credenciada Fundaçao Visconde de Cairu existe algum prazo para atualização do aplicativo de meus clientes?

  • 4 de fevereiro de 2009 às 12:36

    Comment by MAX

    Quais são as mudanças da aplicação PAF para o cliente? Quais os prazos para o RS?

  • 2 de março de 2009 às 16:18

    Comment by Adriano Luiz Alves

    Luiz,

    1º – Qual o procedimento correto para gerar o Espelho da MFD e o Arquivo da MFD conforme o Ato COTEPE/ICMS 17/04, existe alguma função da bematech para este tipo de procedimento, utilizo a BemaFI32.dll

    2º Em relação a assinatura digital que devo incluir nos arquivos txt que serão gerados à partir dos dados da impressora, com geara essa assinatura digital.

    Obrigado.

  • 11 de março de 2009 às 1:04

    Comment by manoel messias

    Bom, estou com um projeto em andamento, e ja tenho alguns clientes em mente, que estao me presionando. agora deverei homologar primeiro, para poder instalar nestes clientes que me solicitaram uma solucao de acordo com a sua necessidade.

    grato

  • 25 de março de 2009 às 12:31

    Comment by carlos

    na regras do PAF, diz que pode-se ter Sistema de Gestao (SG) ou Sistema de Emissao de documento fiscal por PRocessamento Eletronico de Dados (PED)…

    Qual a diferença entre esses sistemas.. ? o que seria este PED ?
    Ped seria nota fiscal simples ou nota Eletronica ?

  • 26 de março de 2009 às 19:29

    Comment by Tiago

    Olá. Li sobre a matéria mas ainda restam dúvidas.
    Srá necessário trocar as ECFs que o estbelecimento possui? Mesmo que sejam térmicas e estejam trabalhando com a última versão exigida pelo fisco? Trabalhamos com a ST 100 da Sweda. Trocamos o que tinhamos há pouco mais de 3 anos e o investimento não foi pequeno. Será que teremos que investir novamente nisto?
    Abraço.

  • 27 de março de 2009 às 11:33

    Comment by Julio Cezar Freitas

    Bom dia!
    Embora seja uma obrigação nacional, visto que é um convênio, vocês sabem se todos os Estados já aderiram ao PAF-ECF e seu roteiro de testes? Quero dizer, para que haja homologação do software são necessários os testes Estado por Estado?

    Desde já agradeço,

    Julio Cezar
    Consultor Fiscal
    Trust Consultores / adidas Brasil

  • 30 de março de 2009 às 8:14

    Comment by Glauber

    Bom dia!

    Tenho uma dúvida em relação ao DAV. Nosso sistema de gestão possui a rotina de orçamento, mas esse não tem ligação nenhuma com o PDV. A única ligação que o mesmo possui é com o micro de notas fiscais, pois no final do orçamento o sistema questiona o usuário se quer transformar aquele orçamento em pedido para faturar.

    Minha pergunta. Terei que readequar nosso sistema para que a rotina de emissão de orçamentos tenha ligação com o PDV? Pois assim poderíamos usar o DAV para nosso controle interno.

  • 4 de maio de 2009 às 17:24

    Comment by Sodemir

    Boa tarde Luis.

    com o PAF, como funcionará as vendas OFF line, ou seja, se eu vender OFF line, e a loja possuir algum produto fisico, porem , sem constar no controle de estoques, como fica no fechamento do dia? poderei vender OFF ou nao? ou somente será permitido vendas ON line.
    at

  • 13 de maio de 2009 às 17:40

    Comment by Eduardo

    Tenho uma dúvida parecida com a do Glauberem… tenho um cliente que tem vários terminais espalhados na loja, os quais emitem orçamentos e pedidos em impressoras não fiscais.

    O cliente, de posse do orçamento ou pedido impresso, vai até o caixa e emite o Cupom Fiscal daquele orçamento ou pedido. Isso é possível pela nova legislação?

    Não está claro para mim até que ponto o meu cliente pode ter terminais para emissão de pedidos e orçamentos sem que estes sejam feitos num PAF conectado a uma impressora fiscal.

    Se alguém souber a resposta ficarei muito feliz em sabê-la.

  • 13 de maio de 2009 às 19:10

    Comment by André

    Tenho uma dúvida parecida ao do Eduardo.

    Na minha empresa temos dois softwares independentes:

    - um terminal para geração de orçamentos, conectado a um sistema de gestão (retaguarda) e a uma impressora não fiscal; e
    - um PAF (Programa Aplicativo Fiscal) conectado a uma impressora fiscal (ECF).

    O terminal de orçamentos serve apenas para gerar orçamentos e convertê-los em pedidos. Ele se comunica com o sistema de gestão somente para realizar consultas de estoque, cadastros de clientes, geração de orçamentos, etc.

    O PAF, também conectado ao sistema de gestão, além de realizar vendas concomitantes realiza vendas não concomitantes, ou seja, vendas em que se importa para o PAF um pedido e se gera o Cupom Fiscal a partir dele.

    Minha dúvida é a seguinte: eu não sei se essa configuração é permitida pela legislação.

    1- Quando eu gero um pedido no meu terminal de orçamentos, ele é automaticamente um DAV (Documento Auxiliar de Vendas)?
    2- Somente quando o orçamento vira um pedido é que finalmente eu tenho um DAV, ou seja, somente o pedido pode gerar um DAV?
    3- No estabelecimento comercial eu posso ter outros sistemas, como o terminal de orçamentos, conectados a impressoras não fiscais?
    4- Posso gerar orçamentos e pedidos no terminal de orçamentos sem que eles gerem um número de DAV? Se eu puder, posso gerar um Cupom Fiscal sem colocar esse número de DAV nele (pois como sabemos, quando posso fazer orçamentos pelo PAF sou obrigado a colocar o número do DAV no Cupom Fiscal… mas e seo orçamento não é feito no PAF)?

    A legislação não deixa claro para mim qual é a diferença entre esses dois sistemas. Meu medo é ter um terminal de orçamentos que imprime pedidos e orçamentos numa impressora fiscal, mas que não respeite a lei.

    Espero que possam me ajudar.

  • 14 de maio de 2009 às 9:36

    Comment by André Munhoz

    Pessoal,

    A princípio, a legislação do PAF-ECF não prevê na homologação o processo de emissão de pré-venda, ou seja, a homologação está relacionada apenas ao sistema de frente-de-caixa. No segmento de materiais de construção (por exemplo), é gerado uma pré-venda (orçamento) com o pedido do cliente e armazenado no sistema por até 7 dias. Caso o cliente não retorne, o orçamento é eliminado do sistema, porém ao retorno do cliente e o mesmo aceitar a compra, esta pré-venda se transforma em venda sendo enviado ao PDV (PAF) para a emissão do cupom fiscal.

  • 15 de maio de 2009 às 9:33

    Comment by Eduardo

    André, entendi.

    O que não está claro para mim é o seguinte detalhe: quando a pré-venda é feita num outro terminal e depois se transforma em venda para em seguida ser enviada ao PAF para geração do Cupom Fiscal, preciso imprimir no Cupom Fiscal o número dessa pré-venda? A legislação diz que devo quando o PAF possui a funcionalidade de registro de pré-vendas. Porém, a pré-venda não foi feita diretamente no PAF, mas sim num outro terminal.

    Esse detalhe é importante porque controlar os dados das pré-vendas (chamadas de DAV – Documento Auxiliar de Vendas) pelo PAF é muito complicado: é preciso gerar arquivos eletrônicos dos DAVs para a receita federal e mais um monte de coisas que deixam o desenvolvimento e implementação dos PAFs muito complicado.

    Se não for necessária a impressão do número da pré-venda no Cupom Fiscal e também não for necessário manter a Automação Comercial dos DAVs no PAF porque a pré-venda foi feita num outro terminal isso simplifica MUITO o software do PAF.

    Preucupado com prazos de desenvolvimento, saber com precisão essa Automação Comercial é algo muito importante…

    Fico no aguardo de uma luz. :-)

  • 15 de maio de 2009 às 16:05

    Comment by Eduardo

    Pessoal, a Bematech gentilmente me encaminhou um documento que responde diversas perguntas que eu tinha.

    Eu encontrei o mesmo documento no seguinte link: http://www.fazenda.mg.gov.br/empresas/ecf/manuais/cartilha_perg_resp.pdf

    É isso.

  • 16 de maio de 2009 às 11:28

    Comment by Kuesley

    Estou tentando entender os motivos que levaram os criadores desses requisitos funcionais, especificamente o III do anexo I versão 01.02, onde diz:

    “O PAF-ECF deve ser instalado de forma a possibilitar o funcionamento do ECF independentemente da rede, exceto quando destinado à utilização exclusiva para o transporte de passageiros.”

    Se eu entendi bem, não posso ter um aplicativo na web (browser).

    Quando o comercio é um auto-serviço acho que este requisito é aceitável, porém
    numa loja de eletrodomêsticos, por exemplo, isso é muito complicado.

    Como que posso impedir via sistema que o mesmo refrigerador (ultimo do estoque) seja vendido para dois clientes? Sem colocar uma etiquetinha dizendo que foi vendido.

    Faço a pré-venda em um terminal, num sistema de gestão e como que lá no PAF eu digo que foi vendida
    a ultima geladeira.

    Esta questão está me deixando louco, se estiver pensando errado, por favor me corrijam.

    Agradecido,

    Kuesley

  • 16 de maio de 2009 às 11:35

    Comment by Kuesley

    Uma dúvida para o Andréem (tópico 68)

    Como vc tem o PAF conectado ao sistema de gestão se não pode ter rede?

  • 1 de junho de 2009 às 12:12

    Comment by Eduardo

    Kuesley, o PAF pode ser conectado ao sistema de gestão desde que ele tenha um sistema de contingência para os casos em que se perde a comunicação via rede. Assim, caso o sistema de gestão saia do ar, todos os PAFs devem continuar operando.

    Naturalmente, isso só funciona se o PAF operar no modo concomitante. No modo de operação não-concomitante não há o que fazer, pois os pedidos estão armazenados no sistema de gestão. Como não há rede, não há como trazer os pedidos do sistema de gestão para o PAF.

    O “pulo do gato” é justamente você criar um mecanismo que te permita sincronizar os dados das vendas realizadas pelos PAFs (no modo concomitante) com o sistema de gestão quando a comunicação via rede for estabelecida. Os dados das compras devem ser enviados ao sistema de gestão, bem como as informações de movimentaçlão de estoque (afinal, os produtos saíram do estoque).

    Tirei sua dúvida?

  • 19 de junho de 2009 às 9:56

    Comment by Thainá

    Olá, bom dia!
    Em relação aos arquivos que são gerados pelo sw, precisam ser enviados para algum lugar, como é o caso dos arquivos da NFP?

  • 26 de junho de 2009 às 21:42

    Comment by Alexandre de Souza Andrade

    Gostaria de saber por que não fizeram uma legislação para sistemas comerciais WEB, sendo que eles são realidade,futuro e possuem características diferentes. Dizer que o sistema WEB não garante funcionamento por dependência da rede (internet) é a mesma coisa que dizer que o sistema desktop não garante por dependência de luz. Hoje em dia sem internet você não faz praticamente nada e isso é cada vez mais realidade.
    É nós empresas de software WEB temos que esperar pacientemente e ver se um dia a legislação consegue acompanhar a evolução tecnológica.

  • 1 de julho de 2009 às 12:26

    Comment by Pedro Paulo

    Gostaria de informações sobre a geração do Arquivo Eletrônico que deverá ser gerado diariamente aos moldes da CAT-52 de SP:
    - Já existe DLL que me retorne essas informações para eu poder gravar em meu banco de dados?
    - Se não existe, vcs. possuem um material com o agrupamento de todas as funções que me retorne os dados necessários a geração desse arquivo?

    grato.

  • 7 de julho de 2009 às 17:24

    Comment by Fabiano Gonzaga

    Olá pessoal, gostaria que alguém me ajudasse com o seguinte, pelo que entendi o sistema não pode depender de rede, ou seja se por acaso um cliente chegar ao caixa e neste momento ocorrer um problema na rede (que é dificil), como faço para meu sistema continuar funcionando, onde ele vai buscar os dados dos produtos, tenho clientes com BD gigantes com quase 1Gb, não posso ficar copiando os dados pela rede direto, e mesmo que eu fizesse isso como fazer para não vender o produto que só tem 1 no estoque para dois clientes, tenho clientes que têm 5 filiais usando o mesmo BD, isso não será mais permitido???
    Por favor se alguém puder me ajudar to pra ficar louco pois em meu Estado o prazo é até o fim deste ano…

  • 9 de julho de 2009 às 12:12

    Comment by André Munhoz

    Olá Fabiano,

    Realmente o PAF-ECF exige que o aplicativo de PDV gere o relatório do Anexo VI, independente da retaguarda.

    O que geralmente os desenvolvedores estão implementando é uma carga de produtos diária em uma pequena base de dados com saldo, e durante o dia de movimento esta base é alimentada debitando o saldo. Quando chega ao final do dia, esta base é descarregada no banco de dados geral, fazendo assim os acertos no estoque.

  • 9 de julho de 2009 às 12:14

    Comment by André Munhoz

    Olá Pedro,

    A dll BemaFI32.dll já está prepara para a geração automática dos arquivos que atendem a portaria do PAF-ECF.

    Veja detalhe neste link: http://partners.bematech.com.br/bemacast/flashtip/2008/01/bematech-flashtip-26a-edicao-como-gerar-o-arquivo-da-cat-52-ato-cotepe-1704-nas-impressoras-fiscais-bematech/

  • 9 de julho de 2009 às 12:21

    Comment by André Munhoz

    Olá Thainá,

    Veja em nosso help on-line, no tópico “Assinatura Digital (registro EAD)”, maiores informações sobre a assinatura do arquivo e tbm sobre onde o arquivo com a chave pública deve ser salvo.

    http://www.bematech.com.br/suporte/Bemafi32/index.html

  • 13 de julho de 2009 às 10:51

    Comment by Douglas Ribeiro

    Tenho um cliente do ramo farmaceutico que me solicitou o desenvolvimento do software completo (SNGPC, Nota Fiscal Paulista, ECF, ABCFarma, etc…) bom só encontro informações que não são completas sobre a homologação do software para o estado de SP, pois precisaria saber os custos, local, e como fazer esta homologação para finalizar este software, todos os outros itens ja encontrei e estão prontos, mas a homologação do ECF-PAF não sei nem aonde fazer e nem o valor.

  • 14 de julho de 2009 às 13:59

    Comment by André Munhoz

    Olá Douglas,

    Vc pode consultar diretamente o órgão homologador de sua região:

    http://partners.bematech.com.br/bemacast/ac/2009/04/orgaos-homologadores-do-paf-ecf/

  • 24 de julho de 2009 às 9:03

    Comment by Méson Medeiros

    Muito esclarecedora a matéria, assim teremos condiçoes pra melhorar a competitividade.

  • 29 de julho de 2009 às 15:00

    Comment by JULIO DUDA

    O resumo em si é excelente, é de bom alvitre que as Empresas de Comércio Varejista em Geral atentem para aproveitar o período de adaptação para ” trocar seus programas ” de fundo de quintal e se prepararem seriamente para as mudanças do PAF ECF, SINTEGRA, NOTA FISCAL – E e SPED. ok.

  • 2 de agosto de 2009 às 15:04

    Comment by Idelvan

    Olá Boa tarde…

    Acredito que a fila é grande para muitas empresas legalizarem os seus aplicativos. Qual é o prazo médio de homologação de um software para atender o que determinada o Fisco acerca do PAF-ECF ? Os desenvolvedores autônomos agora são obrigados a abrir empresa ?

    Agradeço a todos.

  • 2 de agosto de 2009 às 15:09

    Comment by Idelvan

    Todas as empresas SwHouse no estado de SP são obrigadas a se adequar ao PAF-ECF ? qual é o prazo para SP ?

  • 3 de agosto de 2009 às 10:11

    Comment by André Munhoz

    Olá Idelvan,

    Pelas informações que temos, o prazo para adequar o aplicativo à legislação do PAF-ECF se encerrou no mês passado.

    Ats,
    André Munhoz

  • 3 de agosto de 2009 às 10:20

    Comment by André Munhoz

    Olá Idelvan,

    O prazo médio de homologação do aplicativo nos órgãos certificadores é de 2 dias aproximadamente e é necessário ter CNPJ para a homologação.

    Ats,
    André Munhoz

  • 4 de agosto de 2009 às 17:52

    Comment by Eduardo

    Caro André, você pode citar a fonte da sua Automação Comercial sobre o prazo de adequação do PAF no estado de São Paulo? Estou procurando essa Automação Comercial na internet e não encontro. Já liguei na SEFAZ-SP e ninguém sabe informar (incompetência total). Saber esse prazo é vital para o meu projeto… Um abraço.

  • 7 de agosto de 2009 às 14:19

    Comment by Morgana Nunes

    Olá , Luize eu estou conversando com os clientes, pois tem muitas dúvidas em relação ao PAF ECF, minha maior dúvida no setor Food, os restaurantes e bares… qual vai ser o critério de Fisco para estes estabelecimentos que trabalham coma Pré conta, agora a DAV… E os clientes que não trabalham com ECF ainda … Possuimos software homologado mais as informações que surgram .. foi que entraria em Vigor agora em Outubro2009.

    Se poder me esclarecer estas Dúvidas.

    Att,

    Morgana Lunardi.

  • 19 de agosto de 2009 às 17:40

    Comment by Geovani

    Olá!
    Tenho a mesma dúvida do Idelvan.
    Precisarei abrir uma empresa para homologar meu PDV com TEF e ECF ?
    Sou desenvolvedor no Rio de Janeiro.

  • 20 de agosto de 2009 às 15:32

    Comment by André Munhoz

    Olá Geovani,

    Entrei em contato com o INATEL e me comentaram que é necessário possuir um CNPJ para realizar a homologação do PAF-CF.

    Ats,
    André Munhoz

  • 24 de agosto de 2009 às 15:28

    Comment by André Munhoz

    Olá Eduardo, eu havia conversado com a Inatel, porém para o estado de SP ainda não estão obrigando.

    Ats,
    André Munhoz

  • 31 de agosto de 2009 às 10:56

    Comment by Allan Jones

    Bom dia

    Estou começando minha vida nesse segmento de Tecnologia, e recebi informações que, quem está obrigado ao uso do ECF, são contribuintes que tenham em seu estabelicimento ponto comercial e não mais renda bruta anual superior à R$ 120.000

    Isso é verdade ?

    Grato,

  • 31 de agosto de 2009 às 16:58

    Comment by André Munhoz

    Olá Allan,

    Na verdade, o estabelecimento que possuir um PC no balcão de atendimento ou no caixa, já se caracteriza uma automação, então deve-se usar ECF.

    Ats,
    André Munhoz

  • 2 de setembro de 2009 às 12:36

    Comment by filippe salmi

    Pessoal, a nível de tempo, como todos estamos precisando dele, gostaria de saber se podem sanar a minha dúvida.

    Nosso sistema, atende, padarias, restaurantes, mecanicas, varejos em geral, mercearias etc

    só que, tudo que está relacionado a restaurantes é Pré-Venda, e funciona assim,
    A pessoa em um micro terminal (ou em um terminal TouchScreen) pega uma ficha e vai lanchando o que a pessoa vai consumindo, e la no caixa(PDV) ela digita o N da ficha ou o N da Mesa, ou com um Leitor de Cartão de Ficha, e então paga e finaliza a venda.

    Como que isso vai funcionar OFFLINE Sad ? ou é so para as mercearias que a venda iniciar e finaliza somente no PDV ?

    Porque como que eu deixo o pdv offline se a venda é feita antes, isso não fico muito claro.

    Todos os requisitos do PDV, são os mesmos para Restaurante ou aquela parte só e para restaurantes é so fazer aquilo ?

  • 11 de setembro de 2009 às 10:37

    Comment by Marcelo

    Olá. Tenho algumas dúvidas acerca do uso da pré-venda e orçamentos:

    - A impressão do DAV é obrigatória com o uso da pré-venda?

    - Posso carregar um ORCAMENTO previamente gravado no PDV para não ter que digitar novamente os itens e processá-los de forma concomitante no ECF ?

  • 17 de setembro de 2009 às 16:29

    Comment by Felipe

    Boa tarde,

    Estou com um problema e gostaria de verificar com vocês qual comportamento deveria ser observado.

    Tenho uma aplicação que após a impressão do comprovante fiscal, e após a escolha do pagamento via cartão de débito ou crédito, durante a impressão do CCD, ocorre uma queda de energia no ECF.

    Neste caso para ficarmos em acordo ao FISCO, qual deveria ser o comportamento da aplicação?

    Deveria imprimir um CCD dentro do relatório Gerencial ou abrir um novo CCD vinculado ao COO do comprovante fiscal, estornando o CCD aberto no momento que houve a queda do ECF?

    Obrigado

  • 17 de setembro de 2009 às 17:50

    Comment by Jose Miguel

    Gostaria de saber como deixam a Redecard, por exemplo, fazer propaganda sobre o uso de um POS. Fomos autuados por termos POS das tres bandeiras. Uma multa de R$ 1.500,00 por máquina. Somos ME, com faturamento acima de R$120.000,00 e abaixo de R$480.000,00…
    Fomos então obrigados a devolver os POS às administradoras, comprar e instalar um TEF, que funciona quando “ele” quer. As bandeiras não se responsabilizam por nada, cada uma empurra o problema para a outra…
    Nem sabia desse PAF.
    Vão começar nossos problemas de novo!

  • 18 de setembro de 2009 às 14:06

    Comment by Marisa Nascimento

    Boa tarde,

    Ainda estou com muita dificuldade em entender e passar os prazos para os clientes estarem utilizando o sistema já com as regras do PAF. Qual é a obrigatoriedade quanto a isso, Fiquei sabendo que clientes que adiquirir impressoras até 30 de outubro de 2009 somente serão obrigados a partir de 1º de março, e os que adquirirem a partir de 1º de novembro já estarão obrigados. Isso é certo?

    Vocês tem alguma clausula que tenha isso para que eu ter essa certesa?

    Agradeço desde já pela ajuda

  • 2 de outubro de 2009 às 16:06

    Comment by Mario Aldo Serafim Inacio

    Boa tarde, lendo todos os comentários, fiquei ainda com dúvidas quanto a algumas questões, se poder respondê-las, agradeço:

    1) O recebimento de vendas no crediário no PAF emito um gerencial no ECF. E se o recebimento for feito no retaguarda, posso emitir o recibo em uma laser? Sairá como DAV?

    2) O Sistema retaguarda, poderá lançar uma venda e emitir uma NF?

    3) Os DAV´s serão numerados e sua impressão deve ser guardada no DB ?

    4) O que fazer para clientes que possuem preço diferenciado para venda a prazo, poderei ter 2 preços na tabela de preços?

    5) A baixa do estoque deve ser feita quando lança-se a pré-venda ou quando emite-se o Cupom no PAF?

    Atenciosamente

  • 6 de outubro de 2009 às 8:15

    Comment by David

    Gostaria de saber no Mato Grosso em especial no interior, quando a ECF passa a ser obrigatorio?

  • 6 de outubro de 2009 às 18:40

    Comment by Felipe

    Boa noite,
    Minha duvida é quanto a impressão da forma de pagamento, pois uma Software House que faz multiplas formas de pagamento (dinheiro e cartão em uma unica
    transação) e multiplos cartões (mais de um cartão em uma unica transação), caso o ultimo cartão passado por algum motivo não seja aprovado, esse valor será finalizado em dinheiro, dessa forma será impresso duas vezes a forma de pagamento dinheiro no cupom fiscal.

    Abaixo segue o fluxo de como a transaçãoo foi realizada:

    -Valor total da transação R$100,00.
    -O pagamento será realizado em dinheiro + cartão.
    -Passei R$40,00 em dinheiro e a forma de pagamento no cupom fiscal já foi impressa.
    -Passei R$60,00 cartão que não foi aprovado. Dessa forma há a possibilidade de retornar para a Automação Comercial e finalizar em outra forma de pagamento ou mesmo em cartão. Porém, o cliente só tem como finalizar em dinheiro. Sendo assim a automação vai imprimir outra vez no cupom fiscal agora com o valor de R$60,00 a forma de pagamento dinheiro.

    Verifique se imprimir duas vezes a forma de pagamento dinheiro em um caso desses está correto ou se a Software House é obrigada a imprimir todas as formas de pagamento somente na hora em que o valor total da transação for fechado?

    Alguém poderia me ajudar com essa dúvida?

    Obrigado

  • 13 de outubro de 2009 às 15:26

    Comment by Anderson

    Onde obtenho os layouts dos arquivos que tenho q mandar diariamente, e em que momento devo enviar os mesmos?

  • 5 de novembro de 2009 às 19:28

    Comment by George Pinheiro

    Sou desevouvedor a onde eu posso baixa as Automação Comercial de que o sistema pode ou nao pode fazer
    como pode funciona sou da Bahia email empacsersoft@hotmail.com

  • 30 de novembro de 2009 às 7:45

    Comment by Ricardo Alves

    Sr. Luis !! Bom Dia .

    Pelo que entendi até o momento, quem se informatizava alegando que não era obrigado porque não se enquadrava, e estava abaixo dos 120.000,00 anual, agora terá qte se automatizar pois todos que tenha um Automação Comercials já se enquantra do ato COTEPE/ICMS ??
    Quem ficara responsavel pela fiscalização ?
    A partir de Janeiro ??

    Ricardo.

  • 14 de janeiro de 2010 às 7:49

    Comment by morganalunardi

    Oi, André …

    gostaria de saber como vai ser a fiscalização nos estabelecimentos pois aqui em SC .. mais de 12000 mil estabelecimentos receberam uma autuação direta aos contadores.Há uma procura por softwares homologados no PAF ECF, porém muitos clientes não acreditam, acho que isso é papo conversa fiada para vender sistema .. Mesmo assim os contadores continuam recebenmdo a carta com o pedido de automação.

    Gostaria de saber se é só em SC que esta assim, a fiscalização intimando em massa!

    Att,

    Morgana Lunardi

  • 26 de janeiro de 2010 às 16:20

    Comment by Fernanda Gomes

    Boa tarde,

    sou do Rj e gostaria de saber se a data certa para estar usando o PAF é mesmo março/10?

    Tenho algumas dúvidas:

    Na minha empresa tenho um software, que possui um sistema de gestão e o mesmo que gera os pedidos. (tenho uma empresa no ramo varejista de bebidas). Ele trabalha com impressora não fiscal.

    O software que possuo é apenas para gerar orçamentos e fazer pedidos. Ele cruza com o sistema de gestão para realizar consultas(estoque, cadastro de clientes, fornecedores, pedidos)

    Para eu atender aos requisitos do PAF terei de contratar outro software? Se sim, não poderei mas trabalhar com o meu, ou posso trabalhar com dois softwares ao mesmo tempo? Um que tira os pedidos e outro as vendas. Pois nem todos os meus pedidos são vendas. O cliente devolve mercadorias, pois vendo consignado.

    Eu posso ter mais de um sistema, como um ligado a impressora não fiscal e outro ao PAF?

    Obrigada!

  • 27 de janeiro de 2010 às 18:56

    Comment by GUSTAVO

    COMO AGENTE DENUNCIA UMA SOFTWARE-HOUSE QUE NÃO SE ADEQUOU? NEM HOMOLOGOU O SEU PDV?
    AGUARDO

  • 31 de janeiro de 2010 às 2:41

    Comment by George Pinheiro

    A onde posso conseguir um manual do estado da Bahia falando o que sistema que emite cupom fiscal precisa fazer ou nao fazer na hora da venda pra pode homologar?

  • 11 de fevereiro de 2010 às 10:59

    Comment by alexandrina

    trabalbo com um soft onde o mesmo nao irá homologar o sistema.Onde posso procurar um outro que seja credeciado e atenda todas a exigecias acima solicitada.

  • 15 de fevereiro de 2010 às 9:46

    Comment by anderleia

    Olá bom dia!
    Gostaria de saber quais empresas estao obrigadas a adquirir o PAF-ECF? se sao todos os tipos de empresas, ou sao separados por atividades, faturamentos, ou etc…por ex:comercio varejistas, farmacias e drogarias?

    atenciosamente.

    Anderleia

  • 15 de fevereiro de 2010 às 9:48

    Comment by anderleia

    Bom dia!

    Quem está obrigado a adquirir o PAF-ECF?
    está separado por atividade da empresa? faturamento? ou estados?
    por ex.: farmacias e dragarias, comercio varejistas tem q se adequarem?

  • 25 de fevereiro de 2010 às 17:29

    Comment by waldir boeker

    boatarde.trabalho em contabilidade no rio de janeiro,e a lei diz que a partir de 01 de abril de 2010 todas as em,pressas que faTURA ACIM,A DE 120.000,00.ESTAO OBRIGADAS A COMPRAR U,A IMPRESSORA FISCAL,APERGUNTO AS EMPRESAS QUE ESTAO ENQUADRADAS NO SIMPLES NACIONAL QUE JA POPSSUIM ECM MATRICIAL SAO OBRIGADAS A ADQUIRIR UMA NOVA IMPRESSORA,TENHO ESTA DUVIDA E TENHO CERTESA QUE MUITOS TAMBEM,PORQUE ESTAS EMPRESAS SAO DE PEQUENO PORTE E VAI COMPLICAR PARA ELES POIS NAO SABEM LIDAR COM AS MESMAS, OBRIGADO PELA ATENÇAO

  • 10 de março de 2010 às 11:01

    Comment by MAURICIO RIBEIRO

    Nosso aplicativo já tem o laudo PAF-ECF e já estamos credenciados na SEFAZ-RJ, BA, MG e TO.
    Alguns clientes meus dizem que não vão atualizar a versão e vão continuar a usar a versão não homologada. O que devemos fazer nestes casos ?
    Mauricio

  • 30 de março de 2010 às 21:38

    Comment by Regina

    Tirei umas dúvidas sobre emissão de cupom fiscale , observei que todas é venda a vista, e se for uma venda a prazo , cliente compra e tem que assinar a nota de compra,hoje é uma nota com canhoto( formulário ) , vinculada a um cupom fiscal como fica

    Regina

  • 31 de março de 2010 às 13:14

    Comment by REGINA

    Voces me responderam que poderei emitir um cupom gerencial com as parcelas de o cliente em compras a prazo, mas se essa mercadoria for para entrega ?
    poderei tirar um formuário de nota fiscal?
    e se não for para entrega que tipo de documento o cliente leva como comprovante dessa compra?
    e qual o documento a empresa fica como comprovante de retirada da mercadoria da loja, para posterior cobrança, caso aja alguma dúvida do cliente em relação a compra( isso porquê minha empresa é de material de construção e geralmente quem faz as compras é o engenheiro ou arquiteto, mas o faturamento é em nome do cliente, e quando surge alguma dúvida recorremos a assinatura, nesse caso poderei tirar um formulário vinculado para que eu possa ficar com uma via de cobrança, mesmo sendo pessoa fisica?

    Agradeço por tirar minhas dúvidas

    Regina

  • 6 de maio de 2010 às 10:11

    Comment by Julio Cesar Boff

    Tem algum prazo ou previsão para a adesão no estado do Paraná, quando será obrigatório ?
    obrigado.

  • 24 de maio de 2010 às 9:21

    Comment by Francivania

    Prezados,

    Solicito informar se o Estado do Ceará está obrigado ao PAF-ECF.

    Como identificar se a empresa “envia comandos de funcionamento ao equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF)”?

  • 16 de julho de 2010 às 3:30

    Comment by João Carlos

    Como imprimir a NF-E fora do ECF (na laser) se não se pode ter essa impressora na frente de caixa? O escritório fica no 3º andar e a loja no térreo… ? o Cliente pode exigir a impressão imediata da NF-E ou podemos envia-la depois por email ? O decreto não explica muito bem isso.

  • 22 de julho de 2010 às 1:57

    Comment by Medeiros

    Estou implantando em meu restaurante o PAF,coloquei no caixa um microcomputador ,uma impressora fiscal e do lado uma impressora nao fiscal para que eu possa emitir relatorios de venda.Mas o meu socio falou que é um perigo essa impressora a vista do fiscal do ICMS caso ele chegue.É verdade,em caso afirmativo baseado em que lei?

  • 23 de julho de 2010 às 17:25

    Comment by Osvaldo Laugé

    Hoje apos 3 meses de trabalho duro certificamos PAF-ECF para fornecer o ERP Tecnicon com a homologação das impressoras Bematech, Obrigado Bematech por este excelente material.

  • 13 de agosto de 2010 às 17:52

    Comment by Luciano Guimarães

    Gostaria de saber se é obrigatoriedade bares e restaurantes usarem software de automação para ter o paf ef, trabalho com automação e varios clientes me perguntam o critério de responsabilidade fiscal , todos são obrigado a informatizar e emitir cupor fiscal ou tem um limite de faturamento ?

  • 24 de agosto de 2010 às 11:04

    Comment by ALESSANDRA

    BOM DIA, GOSTEI DAS INFORMAÇÕES, MAS TENHO DÚVIDAS: 1- AS FIRMAS QUE NÃO TEM UM PC PARA CONTROLAR SUAS VENDAS E SEU MOVIMENTO É IFERIOR A R$ 120.000,00 ESTÁ OBRIGADA AO USO PAF-ECF? 2- O PRAZO É ATÉ QUNDO PARA QUEM É OBRIGADO? 3- RESTAURANTES E MINIMERCADOS ESTÃO OBRIGADOS AO ECF?
    OBRIDADA

  • 15 de setembro de 2010 às 15:04

    Comment by Maryana

    Todos os estabelicimentos, obrigatóriamente a partir da data determinada deverão usar TEF? Quais as especificações para o uso de TEF neste novo ambiente?

  • 29 de setembro de 2010 às 19:16

    Comment by ZIRALDO MENEZES

    possou um smartbox 2011 e gostaria de habilitar o PAF-ECF(cadastrar).
    como devo me proceder?
    VALE LEMBRAR QUE A SEFAZ-BA nos deu o prazo até o dia 30-09-2010.

    atenciosamente,

    ZIRALDO MENEZES

  • 17 de outubro de 2010 às 16:44

    Comment by Anderson

    Validador de Layouts PAF-ECF Para Roteiro 1.06

    Encontrei um site que disponibiliza um validador para validar os arquivos do paf-ecf no roteiro 1.06. Utilizei para homologar o mesmo sistema e consegui obter 100% nas validações, alem do mais economizei muito tempo para gerar os arquivos pois mostra o ponto exato dos erros dos arquivos. pelo menos para mim valeu a pena pois o homologador queria contar linha por linha hehhe.
    Segue o site para download: http://www.validadorpafecf.xpg.com.br/

  • 26 de dezembro de 2010 às 20:00

    Comment by Igor

    sou de campo grande ms
    trabalho com sistema
    estamos aqui homologados nacionalmente para usar o PAF-ECF
    em qualquer estado
    nos atuamos no comercio em geral
    menos em restaurantes

    Atuamos mais no Estado do mato grosso do sul
    e digo pra voces a fiscalizacao esta apertando mesmo
    dando multas e notificando comercios
    multas que variao de 15 mill ate 100 mil reais dependendo do estabelecimento.

  • 15 de junho de 2011 às 23:39

    Comment by Genilson

    Acredito que sejá o sistema com capacidade de gerar os arquivos do Sintegra e Sped, devo realizar a homologação PAF nos próximos dias e ainda tenho muitas duvidas.

  • 26 de outubro de 2011 às 16:41

    Comment by Daniele

    Boa tarde!

    Tenho algumas dúvidas:

    1 -Tenho um cliente que já possui uma impressora sem fita detalhe, qual o procedimento a ser tomado?
    2- Para os clientes que já possuem fita detalhe terá só atualização do sistema?
    3 – Para clientes que estão começando agora, qual o procedimento.

    No aguardo.

  • 23 de novembro de 2011 às 12:16

    Comment by André Munhoz

    Olá Daniele,

    As impressora fiscal com MFD possuem o mesmo set de comandos das impressoras fiscais matriciais, então se sua aplicação de PDV usa nossa dll BemaFI32 para comunicação, basta atualizar a dll e mudar a chave Impressora=1 no arquivo BemaFI32.ini.

    Ats,
    André Munhoz

Deixe um comentário